Buraco Macular

Publicado por em 21 nov 2016 em Blog, Destaques, Patologias |

Buraco Macular

O que é um buraco macular?

Trata-se de uma alteração na região central da mácula (chamada de fóvea), envolvendo todas as camadas retinianas.

Buraco macular de espessura total – Imagem de OCT Fonte: http://discoveryeye.org/

Buraco macular de espessura total – Imagem de OCT
Fonte: http://discoveryeye.org/

Quais são as causas do buraco macular?

Os buracos maculares podem ser ocasionados por trauma ocular ou por alterações primárias da interface vítreo-retiniana (como a síndrome de tração vítreo-macular).

Cirurgias oftalmológicas (como a vitrectomia) e os edemas maculares (acúmulo de líquido entre as camadas retinianas) também podem causar a separação total das camadas retininanas em área foveal.

Síndrome de tração vítreo-macular – Imagem de OCT Fonte: http://eyewiki.org/

Síndrome de tração vítreo-macular – Imagem de OCT
Fonte: http://eyewiki.org/

Quais são os sintomas do buraco macular?

Nos estágios iniciais os pacientes podem apresentar “borramento” da visão central ou distorção das imagens. As linhas retas podem parecer tortuosas, sintoma conhecido por metamorfopsia.

Com a evolução do quadro e aumento da espessura do buraco os pacientes passam a referir uma mancha escura, fixa, no centro da visão.

Metamorfopsia Fonte: http://optikavilag.hu/

Metamorfopsia
Fonte: http://optikavilag.hu/

Como é feito o diagnóstico do buraco macular?

Na maioria dos casos o exame de mapeamento de retina ou a fundoscopia (fundo de olho) de rotina já são suficientes para que o médico oftalmologista suspeite da presença de um buraco macular. O exame chamado de “padrão ouro” para o diagnóstico e classificação do buraco é a Tomografia de Coerência Óptica (OCT) que permite avaliar o tamanho do buraco macular, as camadas acometidas e também avaliar as possibilidades de tratamento.

Qual o tratamento disponível para o buraco macular?

O tratamento do buraco macular é cirúrgico. A cirugia realizada é chamada de vitrectomia via pars plana, que consiste na remoção do “gel vítreo” e na maioria dos casos remoção também da camada mais interna da retina, chamada de membrana limitante interna. Essa técnica visa desfazer as “trações” que impedem o fechamento do buraco. O gel vítreo é, na imensa maiora dos casos, substituído por um gás medicinal que aos poucos é absorvido e substituído por humor aquoso (líquido produzido por estruturas oculares).

Remoção da membrana limitante interna http://www.retinalphysician.com/

Remoção da membrana limitante interna
http://www.retinalphysician.com/

Assim sendo, exames oftalmológicos de rotina, mesmo nos pacientes que não apresentam sintomas, são importantes para o diagnóstico e intervenção precoces, visando evitar perdas irreversíveis da visão central.